LITURGIA DO CARGO

02.09.2019

Alô, Chics! 

“Liturgia do cargo” é um nome pomposo para designar comportamento adequado a uma função ou situação. Temos ouvido muito essa expressão ultimamente por conta de reprovações a atitudes e falas truculentas e agressivas de pessoas em evidência, no Brasil e no mundo.

Estou me referindo hoje ao tenista russo Daniil Medvedev, no momento o quinto melhor do mundo, e seu comportamento mal-educado nas quadras durante o US Open de Nova York nesta primeira semana de setembro de 2019.

O russo se esbaldou em grosserias: maltratou o garoto que traz a toalha para ele enxugar o rosto jogando a toalha no chão, atirou a raquete no chão, fez um gesto obsceno para a plateia que o vaiou no final do jogo e ainda reforçou sua atitude com gestos e gritos desafiadores de “vaiem mais, pois suas vaias me dão energia para vencer”.
O tênis é um esporte que tem regras muito claras de comportamento, tanto para os jogadores como para a plateia.

Não é um jogo extremamente popular, mas pode recebe em suas quadras uma media de 20 mil espectadores durante seus famosos campeonatos como Roland Garros, Wimbledon etc...

O esperado de um jogador é o máximo da competitividade durante o jogo e o máximo da civilidade depois, ganhe ou perca a partida. É o famoso espírito esportivo que costuma nortear jogos de qualquer modalidade de esporte em todos os lugares do mundo.

Maltratar os auxiliares da quadra, gritar com os juízes, desrespeitar a plateia são atitudes que caracterizam um jogador imaturo, despreparado e sem educação esportiva e civil. Não é a melhor maneira de ter a torcida a seu favor. É isso que essa turma quer?

Beijos, 

Gloria