MODA PARA AS MADURAS

14.01.2019

Alô, Chics!

Há anos venho dizendo que a indústria da moda, tão metida a rápida e espertinha, dá umas bobeadas difíceis de entender.

Nem agora, com o mundo todo pensando sobre a questão da obesidade adulta e infantil, o mercado da moda insiste em não tomar conhecimento dessa categoria e não comparece com uma oferta melhor e maior para quem quer se vestir bem mesmo estando acima do peso. Em minhas andanças pelo Brasil continuo a ouvir queixas neste sentido.

Pois agora uma nova categoria de abandonados pela moda entrou no menu: as mulheres mais velhas, maduras, as gatas experientes, que não querem roupas de gatinhas, mas querem se sentir bonitas, sexy e atualizadas com roupas que sirvam e sejam adequadas a esse estágio da vida.





E o mercado continua surdo a essa demanda... Atitude no mínimo pouco inteligente e incompreensível, uma vez que essas mulheres são, em geral, grandes consumidoras que sabem o que querem e têm dinheiro para gastar.

Eu sei do que estou falando porque já cansei de sair de casa procurando alguma coisa para vestir e voltei de mãos abanando. Os motivos são muitos, mas o mais importante é que a grande maioria das marcas tem como alvo as adolescentes ou as muito jovens, o que faz com que desenhem roupas muito curtas, ou muito decotadas, ou muito justas.

Ora, há muito essa faixa do mercado deixou de ser a única interessante para a indústria da moda. Agora há que se considerar essa nova consumidora: a mulher madura, independente, bem informada, exigente e com um poder de compra vindo do fato de terem seu dinheiro e serem donas de seu nariz .

O que os industriais da moda estão esperando para atendê-las?

Beijos,

Gloria






















DESEMBARCANDO EM 2019

07.01.2019

Alô, Chics!

Desembarquei hoje, dia 7 de janeiro, no ano de 2019. Até então eu estava em uma linda viagem de férias de final de ano no Marrocos.

Que país lindo! Estive nas cidades de Fès, Rabat e Marrakech. Recomendo com tudo; é uma oportunidade e tanto de conhecer um mundo diferente do nosso no visual, na língua, na música, na alimentação, na cultura.

Tive muita sorte, pois apesar de ser inverno por lá, com temperaturas de 2 graus à noite, de dia só deu sol e céu azul e um calorzinho de 11 graus!







Inesquecíveis as andanças pelas praças, jardins e medinas (bairros antigos sempre murados) da cidade de Marrakech e especialmente a medina de Fès, que continua a levar a vida dos ancestrais, com seus artesãos, suas vielas, seus burricos carregados transportando pessoas e mercadorias numa algazarra continua e cheia de vivacidade. A vida como era na profundidade dos tempos.

Fora e dentro dos muros, palácios, hotéis, restaurantes. Lojas e todas as comodidades do mundo moderno, embora você nunca esqueça que está num país muito diferente - que a cada quatro ou cinco horas conclama por meio de alto-falantes a população muçulmana a fazer suas orações. O som dos muezins é uma constante que acalma e une a cidade e seus visitantes.

Pois então, vamos a 2019. Com ânimo e alma descansada! Estamos juntos?

Beijos,

Gloria





























VEM, 2019!

20.12.2018

Alô, Chics!

Ano novo chegando e eu já imaginando novos modos de conversar com vocês.

Por isso, este blog. Sinto, às vezes, falta de um lugar menos acelerado do que aquele que temos no Instagram ou no Facebook, por exemplo, para uma troca de ideias, para uma resposta mais completa a alguma dúvida que vocês tenham.

Entrem, usem e abusem!

Vou passar o Natal e o final do ano fora; vou para o Marrocos (onde é inverno) encher os olhos de cores, comer tâmaras e fugir um pouco do calor deste nosso verão que se anuncia desesperador.

Aproveito então para me despedir de 2018 aqui perto de vocês e desejar para nós todos um ano novo cheio de boas surpresas e acertos.

Grande beijo,

Gloria