A BOLSA MISTERIOSA DA RAINHA

30.07.2019

Alô, Chics! 

Assim como eu, tenho a certeza de que muita gente morre de curiosidade de saber o que a rainha Elisabeth guarda naquela misteriosa bolsa preta que leva grudada ao corpo aonde quer que ela vá, mesmo dentro de casa.

Especulações não faltam: seria uma garrafinha de gin? Seriam muitos lencinhos perfumados para limpar as luvas depois de uma sessão de beija-mão? Seriam comprimidos para dor de cabeça? 
Pois o mistério parece ter sido esclarecido pelo escritor, historiador e radialista Hugo Vickers: a bolsa serve para que a rainha emita sinais para seus colaboradores mais próximos. Sinais de socorro, de alarme, de aflição ou de cansaço.

Se ela muda a bolsa de braço, está querendo dizer que está na hora de acabar com a conversa; se ela apoia a bolsa na mesa, significa que ela quer ser resgatada em cinco minutos. Já se a bolsa for para o chão é sinal de que quer ser retirada do recinto na mesma hora.

Então a bolsa não leva nada dentro?

Leva, mas nada muito importante ou essencial. Segundo a biógrafa real, Sally Bedell Smith, a rainha leva sempre um espelhinho, um batom, uma caneta, umas balinhas de menta e um par de óculos. Aos domingos, uma nota de cinco ou dez libras para dar de dízimo na igreja.

Como se vê, mais do que uma questão de estilo, a bolsa da rainha é uma questão de Estado.

Beijos, 

Gloria